Navegar é preciso, viver não é preciso?

Existem muitos mitos que rondam a frase navegar é preciso, viver não é preciso. Consequentemente, surgem muitos equívocos acerca da interpretação mais razoável dessa frase.

Inicialmente, é importante mencionar que muitas pessoas atribuem a frase acima citada ao português Pero Vaz de Caminha.

No entanto, a História aponta sua autoria ao poeta português Fernando Pessoa.

Aprenda também:

 

Navegar é preciso, viver não é preciso? O que significa?

Vamos ao que mais nos interessa…a interpretação de texto!

É comum ouvirmos pessoas citando essa frase no sentido de que navegar é necessário e viver não é!

Ou seja, estão substituindo o adjetivo preciso pelo adjetivo necessário. 

Até mesmo a banda O Rappa, na música Mar de Gente, cita a seguinte frase:

…Navegar é preciso senão a rotina te cansa… 

Mas as coisas não são bem por aí!

Em verdade, quando se diz que navegar é preciso, viver não é preciso, está se afirmando que navegar é exato, pois a navegação é uma ciência exata e que pode ser muito bem planejada através de cálculos matemáticos.

Por outro lado, viver não é exato, ou seja, viver é algo muito mais complexo que um amontoado de regras preestabelecidas.

navegar-e-preciso-viver-nao-e-preciso

Sendo bem mais realistas e críticos, podemos dizer que, além de complexo, viver bem é um desafio muito maior do que navegar!

Se você não sabia da interpretação mais adequada da frase navegar é preciso, viver não é preciso, compartilhe este artigo com seus amigos para que eles também descubram mais dicas interessantes de português. 

Não deixe de aprender também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 5 =