Os 7 Erros no Emprego da Crase.

O emprego da crase é um assunto muito interessante e muito complexo também. Isto é um fato! Neste artigo, iremos explicar rapidamente o que é crase e como ela ocorre.

Após isto, você irá saber quais são os 7 pecados capitais no emprego dela, ou seja, os maiores erros que devem ser evitados ao se escrever de acordo com a norma culta do nosso português.

.

Crase

Muitas pessoas confundem crase com acento indicativo de crase. Por isso, entenda inicialmente que a crase é a fusão (uma junção ou”mistura”) de duas vogais, mais especificamente duas letras a. Quando ocorre essa fusão, surge o acento indicativo de crase, o qual é chamado de acento grave.

 

Vamos ver um exemplo:

Maria foi à praia hoje.

 

Observe que ocorreu a crase. Veja que há um acento indicando este fato. Mas vamos entender como ocorre este fenômeno.

Observe a palavra que antecede e a que sucede o “à”, ou seja as palavras que estão antes e depois desta letra. 

 

  • Maria FOI à PRAIA.

Agora vamos analisar as palavras FOI e PRAIA.

 

Em relação a palavra antecedente (FOI), temos o verbo ir. Quem vai, VAI A ALGUM LUGAR, certo?! Então constatamos que o verbo ir exige a preposição a

Em se tratando da palavra sucessora (PRAIA), vemos que se trata de um substantivo feminino que aceita o artigo a.

 

Veja como ficaria a frase…

  • Maria foi  a a  praia. 

Obviamente, ninguém escreve assim, repetindo vogais. Por isso, surge a crase. Ocorre a fusão das duas letras a, que se transformam no “a craseado“. Olhe:

a + a = à

 

Agora vamos observar quais são as situações em que não ocorre crase, ou seja, são hipóteses em que o emprego do acento grave é incorreto. São os 7 pecados no emprego da crase que você não pode cometer.

 

7-pecados-capitais-no-emprego-da-crase

 

Veja também:

Mussarela ou Muçarela: qual o correto?

Mandato ou Mandado: qual a diferença?

 

Antes de palavras masculinas.

 

No exemplo que vimos acima (Maria foi à praia), percebemos que a palavra praia é um substantivo feminino. Por isso ocorreu a fusão a + a.

Caso a palavra que aparece após a letra “a” seja um substantivo masculino, não ocorre crase porque ele não aceita o artigo “a”, mas o artigo “o”. Olhe esses dois exemplos:

Maria gosta de andar a cavalo.

João pagou seu carro a prazo.

 

Antes de Verbos.

 

Outro grave erro é empregar o acento indicativo de crase antes de verbos, pois eles também não aceitam o artigo “a”. Veja como se escreve corretamente:

Júlia começou a estudar de madrugada.

Vitor aprendeu a ler quando completou 3 anos de idade.

Os verbos estudar e ler não aceitam o artigo “a”, por isso a crase é proibida neste caso.

 

Antes de Palavras no Plural.

 

Mais um erro é empregar o acento grave na letra “a” quando o termo sucessor estiver no plural.

Exemplo:

José deu presentes a pessoas carentes no natal.

Veja que a preposição “a” está no singular e a palavra “pessoas” está no plural.

Como a palavra “pessoas” está no plural, ela aceita o artigo “as” e não “a”. Por isso, não há crase.

 

Palavras repetidas.

 

Trata-se de mais uma regra. O “a” empregado entre palavras repetidas não contém o acento grave, pois não há crase.

Os lutadores ficaram frente a frente.

Estudar e aprender português é muito importante no nosso dia a dia.

 

Antes de um numeral.

 

Também é proibido usar o acento grave antes de numerais. Veja exemplos:

O número de estudantes inscritos no ENEM chegou a quinhentos mil.

Estou a um milímetro de passar no vestibular.

 

Antes de Pronomes.

 

Em regra, os pronomes em geral também não aceitam o artigo “a”, por isso não há o fenômeno da crase. Mais um exemplo para facilitar o entendimento:

Peça a alguém para te ajudar a aprender português.

 

Antes de nomes de cidades que não aceitam “a”.

 

Alguns nomes de cidades aceitam o artigo “a” antecedente, outras não. Olhe um exemplo para ver quando não ocorre crase.

Vou a São Paulo todos os dias.

Chegarei a Paris amanhã.

 

Uma dica para saber se a cidade aceita ou não o “a”, use o verbo voltar.

 

Por exemplo:

Voltei de São Paulo hoje. (Seria errado dizer: Voltei da São Paulo)

Gosto muito de Paris. (Seria errado dizer: Gosto da Paris)

 

Mas cuidado: se a cidade estiver especificada, o “a” será “craseado”, veja:

Fui à Brasília de Oscar Niemeyer.

 

Esperamos que você tenha assimilado as dicas disponibilizadas. Compartilhe-as com seus amigos.

Aprender Português.

2 thoughts on “Os 7 Erros no Emprego da Crase.

    1. Para saber se há crase, substitua o verbo “ir” por “voltar”. Assim eu digo que voltei de Brasília, não da Brasília. Se é DE Brasília, então não existe o artigo “a” antes de Brasília e, consequentemente, não há crase. Espero ter sido claro. Abraço. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + três =